Pages - Menu

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

então eu li... CIDADES DE PAPEL

Oi Leitores, como estão? Hoje eu estou aqui como diz a Lúcia do canal no youtube Cabine Literária para resenhar o livro do John Queridinho da vida amor Green ou João Verde como você preferir, quer descobrir? Então embarquemos juntos!

Autor: John Green
Editora: Intrínseca
Ano: 2008
Gênero: Ficção Americana

Como está escrito ali em cima o livro que irei resenhar é Cidades de Papel, mais um ótimo, excelente, espetacular e quaisquer outros adjetivos que possam expressar a geniosidade do querido autor João Verde, como ele é conhecido pelos fãs do Brasil.

Quando pensava na morte dele, o que, diga-se de passagem, não aconteceu tantas vezes assim, eu sempre pensava da forma como você tinha descrito, como se os fios dentro dele tivessem se arrebentado. Mas existem milhares de maneiras de se pensar a situação: talvez os fios se arrebentem, talvez o navio naufrague ou talvez nós sejamos relva, nossas raízes tão interdependentes que ninguém estará morto enquanto houver alguém vivo. O que quero dizer é que as metáforas não são poucas. Mas você precisa ser cuidadoso ao escolher sua metáfora, porque ela faz diferença. Se escolher os fios, significa que está imaginando um mundo no qual você pode se arrebentar de forma irreparável. Se escolher a relva, então quer dizer que todos nós somos interligados e que usamos esse sistema radicular não apenas para compreendermos uns aos outros, mas também para nos tornarmos o outro. As metáforas têm consequências.
Q

A história é a seguinte: O adolescente Quentin Jacobsen ou simplesmente Q tem uma paixão platônica pela sua magnífica vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman. Q me lembra muito o personagem Colin do livro OTK (resenha AQUI) ele é alto e como o próprio John Green diz a respeito dele é um pouco nerd, como todo e qualquer personagem dele, ele desde criança nutre uma paixão por sua vizinha Margo, com dez anos eles presenciam algo marcante – enquanto brincam no Parque eles encontram um homem morto, nesse ponto do livro podemos perceber claramente a diferença entre Q e Margo, enquanto ele tenta se afastar com medo ela quer ir até o homem e assim ela faz, dias depois ela vai investigar o crime mesmo sendo somente uma criança e diz a frase mais genial de todo o livro: TALVEZ TODOS OS FIOS DENTRO DELE TENHAM SE ARREBENTADO. Eles crescem e ela acaba se tornando uma garota popular, a garota mais popular do Colégio ele é só um nerd a mais com dois melhores amigos Ben e Radar (personagens bem humorados, engraçadíssimos que carrega o humor do livro nas costas e que são fundamentais, no final deixa saudade) a vida de Q é assim normal até que em um cinco de maio que poderia ter sido um dia como qualquer outro, Margo invade seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele é claro, aceita.

Assim que a noite termina, ela se despede estranhamente de Q, no dia seguinte ele vai para a escola e descobre que o paradeiro da sempre enigmática tornou-se um mistério, no entanto, ele logo encontra pistas (que foram claro, deixadas por ela) e decide seguir as pistas, mas quanto mais ele se aproxima de Margo mais ele se distancia da imagem da garota que ele pensava conhecer.

 Margo é uma personagem enigmática, por isso não se deixe levar pelas primeiras impressões, ela tem segredos como qualquer pessoa e também tem fascínio por fugas repentinas, como quando foi para o Mississippi e deixou as letras da cidade em uma sopa de letrinhas, ela é assim e torna tudo muito ótimo.
Mas, nessa fuga tem uma questão Q acha que Margo pode estar morta diante das pistas deixadas e claro eu não vou dizer se ela estar ou não.

A narração do livro não é tão dinâmica quanto OTK, mas não chega a ser cansativa, como já dito é um livro bem humorado, carregado de humor, metáforas e questões filosóficas bem o estilo do meu autor favorito!

Curiosidade: Os direitos de adaptação do livro foram comprados por Mr. Mudd e Mandate, os responsáveis por filmes como Juno e John Green já está escrevendo o roteiro então como ele mesmo diz: “acho que depende de se meu trabalho é bom o suficiente para virar um filme”. Não tenho dúvidas disso, assim esperemos!

O nome Spiegelman sobrenome de Margo em alemão significa “fabricante de espelhos” tipo, os caras nas antigas vilas alemãs que faziam espelhos era chamado de Spiegelman. Margo é a Spiegelman de “Cidades de Papel” quando as pessoas olham para ela, não veem nada de Margo de verdade, mas sim o reflexo de si mesmas em um labirinto de espelhos. Palavras do próprio John Green.

O estilo adolescente do terceiro colegial é bem evidenciado, ou seja, bem escrito, bem narrado a gente se envolve com os personagens, eles tem algumas atitudes que nos arrancam gargalhadas e eu particularmente amei a forma como Q demonstra seu amor por Margo, pois não é um amor qualquer é um amor de verdade.

Na minha opinião, todo mundo tem seu milagre. Por exemplo, muito provavelmente eu nunca vou ser atingido por um raio, nem ganhar um prêmio Nobel nem ter um câncer terminal de ouvido. Mas, se você levar em contas todos os eventos improváveis, É possível que pelo menos um deles vá acontecer a cada um de nós: Eu poderia ter presenciado uma chuva de sapos. Poderia ter me casado com a rainha da Inglaterra ou sobrevivido meses à deriva no mar. Mas meu milagre foi o seguinte: de todas as casas em todos os condados da Flórida, Eu era vizinho de Margo Roth Spiegelman.
Q

O livro leva nota dez pela diagramação que é ótima (tem um cheiro ótimo). Parabéns a Juliana Romeiro pelo ótimo trabalho de tradução.

Um livro que com certeza superou todas as minhas expectativas como leitor.

Enfim o livro leva DEZ ESTRELAS com certeza e eu super-recomendo.

Comentem o que acharam, compartilhe em suas redes sociais! #CharlesLetrando#

2 comentários:

  1. Oiee, vim visitar e seguindo =)
    Infelizmente ainda não li nenhum livro desse autor, E.T eu, mas mudarei logo isso, só li resenhas positivas, quero ter a oportunidade de me emocionar também.
    Beliscões carinhosos da Máh ♥
    Cantinho da Máh
    @Maaria_Silvana

    ResponderExcluir
  2. Oie Máh, obrigado pela visita :)
    Eu sou um super fã do John Green então sou até suspeito para falar, mas espero sua opinião assim que ler algum livro dele, dei uma olhada em seu blog e to seguindo também ^^ É muito bom essa troca de figurinhas. Espero sua resenha do Tio João Verde
    Abrações!

    ResponderExcluir

Deixe aqui sua opinião/crítica/elogio sobre o assunto!
Esse espaço é seu... E a gente se encontra por aqui...

Pages

Loading...

Pesquise na Wikipedia

Resultados da pesquisa

Pages - Menu

Deixe aqui seu e-mail :)