Pages - Menu

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Resenha: ASSASSINATO NO EXPRESSO DO ORIENTE

Olá leitores que me acompanham no Charles Letrando.
Tenho uma boa notícia a lhes dar: Sim, eu não sumi! :)

Estive esses dias um tanto ocupado e por isso não pude fazer atualização do blog. Tenho dois livros para resenhar ainda e não tive tempo e já estou lendo um terceiro, por conta disso resolvi começar com Agatha Christie por ter sido o primeiro livro que li dela (Sim Assassinato no Expresso do Oriente foi o livro que me apresentou a Agatha e depois dele quero ler outros, muitos outros) Aproveitando que foi o primeiro livro dela que eu ali, fiz algumas pesquisas sobre o personagem Hércule Poirot que irá junto a resenha, ok?

Abraços!

ASSASSINATO NO EXPRESSO DO ORIENTE
AGATHA CHRISTIE

Hércule Poirot ou simplesmente Poirot, é o grande detetive fictício criado pelas hábeis mãos da geniosa Agatha Christie nesse magnífico livro ele está de volta à ativa em mais um fabuloso romance policial a bordo do Expresso do Oriente.

Para simples nota de curiosidade: Hercule Poirot aparece em mais de 40 romances de Agatha.

Resenha: Pouco depois da meia-noite, uma tempestade de neve para o Expresso do Oriente nos trilhos. O luxuoso trem está surpreendentemente cheio para essa época do ano (os leitores de início não percebem nada de anormal, mas de acordo com a chegada do final do livro você começa a entender o porquê) Mas, na manhã seguinte, há um passageiro a menos, o americano RATCHETT, morto com doze facadas, e o mais incrível disso tudo: é que a porta de sua cabina está trancada por dentro.

Um crime sem solução?

Pistas falsas como um lenço com a letra H, um limpador de cachimbos é colocado no caminho do velho Hercule Poirot para tentar mantê-lo fora de cena, mas num dramático e surpreendente desenlace ele apresenta não UMA, mas DUAS SOLUÇÕES PARA O CRIME.

O livro tem uma narrativa impecável, você não nota um erro sequer no enredo que se escrito por alguém despreparado tinha tudo para dar errado, as coisas acontecem de forma harmônica, durante o momento que Hercule Poirot começa a investigar os passageiros a leitura ganha vida e eu particularmente não consegui parar de ler um instante até finalizar essa parte.

São muitos personagens o que não tira o brilho de Hercule Poirot e o assassinado Ratchett, uma espécie de Prólogo leva o leitor para o passado, embora não exista um Prólogo antes do romance, a história passada é contada pelos próprios personagens e mais precisamente após uma descoberta de Poirot.

NOTA DO LIVRO: 10

PONTO NEGATIVO DO LIVRO: A capa da minha versão



“AGATHA CHRISTIE TRANSFORMA UMA HISTÓRIA IMPROVÁVEL NUM CONTO VERDADEIRO. E MANTÉM OS LEITORES FACINADOS E CURIOSOS ATÉ O FINAL”.

Times Literary Supplement

Outras Capas:



Curiosidades da dama do Mistério AGATHA CHRISTIE:

1 – CAI O PANO é o último romance em que aparece o personagem Hercule Poirot, segundo ela, decidiu matar o personagem para evitar que continuassem explorar seu personagem após sua morte (escolha mais que sensata Agatha). Por isso o romance só foi publicado em 1975.

2 – A primeira vez que o personagem apareceu em uma história de Agatha Christie foi em 1921. The Mysterious Affair at Styles (tema original).

3 – O personagem tem Nacionalidade belga (embora muitos o considerem Francês). É um personagem extravagante, não é nada modesto e está sempre se gabando da forma como usa suas células cinzentas e tem sempre uma aparência elegante e impecável.

Então é isso pessoal!
Gostou? Compartilha (: 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião/crítica/elogio sobre o assunto!
Esse espaço é seu... E a gente se encontra por aqui...

Pages

Loading...

Pesquise na Wikipedia

Resultados da pesquisa

Pages - Menu

Deixe aqui seu e-mail :)